Conheça as soluções disponíveis e explore os temas que o Sebrae tem para oferecer

Marketing Leis e Normas Empreendedorismo
Conheça outros temas
Decifrando os canais de venda - Conceitos e aplicações
E-book Vendas Marketing

O que sua organização tem feito para se tornar mais competitiva? Como as estratégias relacionadas a vendas estão sendo disseminadas na organização? Baixe nosso e-book e saiba mais sobre os canais de venda!

Aumente suas vendas com simples escolhas
E-book Vendas Marketing

Quais desafios na área de vendas sua empresa enfrenta? Para superá-los, é preciso ter, além de esforço e dedicação, inspiração para criar soluções criativas. Nosso e-book aborda a estruturação de um bom gerenciamento de vendas.

Mercado & Vendas: Melhores estratégias
E-book Vendas Marketing

Quer saber como conquistar novos clientes, encantar os que já possui e obter melhores resultados? Baixe nosso e-book e descubra!

Neurobusiness: como estudar a mente humana pode trazer benefícios para o seu negócio.
E-book Marketing

Como sua empresa faz para entender melhor as necessidades e anseios do seu público-alvo? Baixe nosso e-book e entenda como o neurobusiness pode transformar a relação do seu negócio com o cliente!

Veja mais soluções do tema Conheça outros temas

Empreendacom sucesso!

Como o Sebrae pode te ajudar?

Icone

Trilhas de autoaprendizagem.

O Sebrae preparou um conjunto de conteúdos para você se especializar ainda mais. Conheça as nossas trilhas e encontre a que mais te ajude no seu dia-a-dia.

Icone

Cursos online e presenciais

Cursos de capacitação para você aprender o que é mais importante para o desenvolvimento do seu negócio.

E-books ricos em conteúdo.

Confira os materiais ricos sobre empreendedorismo para que você possa se especializar cada vez mais.

Pessoas

Existe um Sebrae para cada tipo de empreendedor!

Qual o seu perfil?

Quero empreender Microempreendedor Individual Tenho um pequeno negócio
Pronto para o mercado: Quais os modelos e áreas de negócios são ideais para você?
E-book Empreendedorismo

Quantos negócios que surgem passam pelas etapas de criação e estruturação? Você sabia que pular esses processos pode ser motivo para o fechamento de uma empresa? Acesse o e-book e aprenda boas práticas que te ajudarão nessas fases!

A jornada dos Pequenos Negócios no Mercado
E-book Empreendedorismo

O caminho para o sucesso de uma micro ou pequena empresa possui obstáculos, mas o Sebrae está sempre por perto para ajudá-lo a superar cada um deles. Entenda a importância das MPEs para o empreendedorismo brasileiro baixando nosso e-book!

MEI - Serviços on-line
E-book Leis e Normas

Entenda como se tornar um Microempreendedor Individual e saiba todas as informações pertinentes a essa categoria tão importante para o empreendedorismo! Acesse essas e outras facilidades sobre o MEI baixando já nosso e-book!

Aumente suas vendas com simples escolhas
E-book Vendas Marketing

Quais desafios na área de vendas sua empresa enfrenta? Para superá-los, é preciso ter, além de esforço e dedicação, inspiração para criar soluções criativas. Nosso e-book aborda a estruturação de um bom gerenciamento de vendas.

Veja mais soluções deste perfil

Agência de notícias

Agência Sebrae de Notícias Edital investe em startups com soluções para o setor de óleo e gás

Rio Grande do Norte - Natal – As empresas inovadoras de base tecnológica do Rio Grande do Norte têm até o dia 15 de agosto para se inscrever e concorrer aos recursos do terceiro edital do Programa Conexões para Inovação, promovido pelo Sebrae e Petrobras. As inscrições foram prorrogadas para a primeira quinzena de agosto e os valores chegam a R$ 22 milhões, dinheiro que será investido especificamente em startups de todo o país. O objetivo do edital é estimular a geração de inovações com alto potencial de impacto e ganho de eficiência na cadeia produtiva do óleo, gás e energia do Brasil. O edital está disponível no endereço https://www.worldlabs.org/opportunity/petrobras-conexoes-para-inovacao-modulo-startups/about Este é o maior edital de inovação já aberto no setor de óleo gás e energia, voltado para startups e pequenas empresas. As selecionadas terão oportunidade de desenvolver soluções e modelos de negócios já acessando uma fatia relevante do mercado: a demanda da Petrobras, com potencial de escalar na indústria nacional e internacional. Para isso, a companhia investirá em projetos de até R$ 500 mil e de até R$ 1,5 milhão, a depender da categoria do desafio (soft ou deep tech). _Olho_ De acordo com o gestor do projeto Petróleo & Gás do Sebrae no Rio Grande do Norte, Robson Matos, o edital representa uma oportunidade para empreendedores locais com ideias inovadoras nesse setor. “Temos no estado uma grande expertise na indústria de óleo e gás, tanto através de empresas do setor, quanto através de instituições científicas e tecnológicas credenciadas à ANP, que juntas podem desenvolver soluções para desafios que estão sendo propostos no edital. Essa iniciativa pode ser uma grande oportunidade para que micro e pequenas empresas possam se beneficiar com a promoção de soluções para a indústria do petróleo”. O Módulo Startups faz parte do objetivo da Petrobras de estimular a geração de inovações com alto potencial de impacto e ganhos de eficiência em áreas de interesse do setor. Durante e após o processo de seleção, os empreendedores contarão com assessoria da Petrobras e do Sebrae para que os projetos finalizados com sucesso tenham a oportunidade de implantação do cabeça de série ou serviço pioneiro na Petrobras. Este ano há desafios nas áreas de eficiência energética, tecnologia de segurança, robótica, redução de carbono, modelagem geológica, tecnologia de inspeção e tecnologia digital. As startups vencedoras recebem suporte financeiro para o desenvolvimento dos projetos de inovação, têm interação com o corpo técnico da Petrobras, capacitação empresarial para posicionamento de mercado e estruturação de planos de negócios, além da participação em Demo Days (Sebrae) com as tecnologias desenvolvidas. O projeto poderá ser selecionado para uma etapa de implantação e teste do lote piloto na Petrobras ou em qualquer outra empresa. "Temos no estado uma grande expertise na indústria de óleo e gás, tanto através de empresas do setor, quanto através de instituições científicas e tecnológicas credenciadas à ANP, que juntas podem desenvolver soluções para os desafios" Robson Matos - Gestor de projeto no Sebrae-RN

Leia mais!
Agência Sebrae de Notícias Sebrae inicia ações para obtenção de selo IG para o mel e a castanha

Rio Grande do Norte - Natal – Depois do Melão Amarelo de Mossoró e dos Bordados de Caicó, outros dois produtos genuinamente potiguares deverão ter a procedência comprovada pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) caso conquistem o selo de Indicação Geográfica (IG) expedido pelo órgão: o Mel de Jandaíra e a Castanha de Caju da Serra do Mel. O Sebrae no Rio Grande do Norte dá início nesta semana a execução de um plano de ação para os trabalhos de preparação junto à governança antes de dar entrada no pedido do IG desses dois produtos, cujas imagem e reputação estão intrinsecamente atreladas aos localidades onde são produzidos em solo potiguar. O selo de IG é concedido pelo INPI, após criteriosa análise, como uma garantia para o consumidor, pois esse certificado comprova que o produto é genuíno e possui qualidades particulares, ligadas à origem. Na maioria dos casos, o título agrega valor aos produtos, sobretudo nos mercados nacionais e internacionais, já que muitos deles são caracterizados não apenas pela marca que ostentam, mas também pela comprovação da verdadeira origem geográfica. O selo de IG atribui reputação, valor intrínseco e identidade própria que esses produtos distinguem dos demais de igual natureza disponíveis no mercado. De acordo com levantamento feito no ano passado, a Castanha de Caju e o Mel de Jandaíra foram os produtos do Rio Grande do Norte com maior potencial para a obtenção do IG e o Sebrae começou a realizar um trabalho para preparar produtores acerca das exigências e critérios do INPI para concessão do título e também toda a governança envolvida nessas duas cadeias produtivas. Geralmente, O pedido de Indicação Geográfica é feito por uma entidade coletiva que agrega produtores do lugar. Agenda em Serra do Mel e Jandaíra Para realizar esse serviço, o Sebrae contratou uma consultoria especializada do Instituto de Inovação e Tecnologias Sustentáveis (Inovates), do Espírito Santo, estado que conta com o selo para o Café do Caparaó e também para os cafés das Montanhas Capixabas, obtido recentemente. O consultor Gabriel Fabres Beliqui veio ao Rio Grande do Norte com a missão de estruturar o processo para solicitar o pedido. Ele se reuniu na tarde desta segunda-feira (26) com a diretoria do Sebrae e técnicos da instituição para apresentar como será a metodologia envolvida e os resultados esperados. Participaram da conversa o diretor superintendente, José Ferreira de Melo Neto, e o diretor de operações, Marcelo Toscano. “Os serviços de Estruturação das Indicações Geográficas do Mel de Jandaíra e Castanha de Caju da Serra do Mel serão realizados ao longo dos próximos 12 meses. A primeira ação dessa semana visa sensibilizar os produtores e demais parceiros sobre a importância de se estruturar a Indicação Geográfica para proteção e agregação de valor dos produtos. Além disso, adequaremos a entidade coletiva que representa os produtores para que ela posso ser elegível para querer o Registro da Indicação Geográfica junto ao INPI”, adiantou o consultor. Na terça-feira (27), Gabriel Beliqui tem encontro marcado com associações, cooperativas e demais entidades que formam a governança da castanha de caju, no município de Serra do Mel, distante 34,5 quilômetros de Mossoró. No dia 29, o consultor vai ao município de Jandaíra, na região do Mato Grande, para falar com os criadores de abelhas melipôneas (aquelas que não têm ferrão). De procedência ou de origem? A ação "fomentar as indicações geográficas no RN" faz parte do projeto Ambientes de Inovação do RN e é coordenada pela analista do Sebrae-RN, Michelli Trigueiro. Segundo ela, a expectativa é que o protocolo do Mel de Jandaíra seja finalizado mais rapidamente. “Já vínhamos trabalhando com o grupo de meliponicultores locais que estão reunidos em uma associação, a JOCA. Então, a governança do Mel de Jandaíra já está mais organizada em torno desse objetivo”, estima. Michelli Trigueiro informa ainda que os dois pedidos do selo de Indicação Geográfica serão para a modalidade Indicação de Procedência. Esse selo refere-se ao nome geográfico (país, cidade, região ou localidade) reconhecido pela produção, fabricação ou extração de determinado produto ou serviço. Diferente da Indicação de Origem, que identifica produto ou serviço dotado de características devidas, exclusivamente, ao meio geográfico (fatores naturais e humanos). “O Mel de Jandaíra tem forte potencial à Indicação de Origem, mas, nessa modalidade, as exigências são maiores, sendo necessária a comprovação científica. Por isso, vamos iniciar focando na Indicação de Procedência e, ao longo do trabalho, poderemos identificar e catalogar material acadêmico que comprove essa relação do mel com o lugar e sua gente”, explica a gestora da ação, que pretende elevar para quatro o número de produtos do RN com essa certificação. Sobre a ação, Michelli Trigueiro destaca: “O Sebrae entende que o selo IG é uma oportunidade para nossos produtos que são muito característicos do Rio Grande do Norte. É uma forma de agregar valor, por meio da organização dos produtores envolvidos na cadeia produtiva, e de levar ao mercado produtos tradicionais, que congregam o conhecimento adquirido ao longo do tempo”.

Agência Sebrae de Notícias Projeto Capital Empreendedor conecta startups a investidores

Rio Grande do Norte - Natal– Muitos já ouviram falar de investimentos anjo, modalidade em que um investidor aporta recursos em uma empresa de capital fechado em troca de participação societária nessa empresa. Esse aporte pode ocorrer em diversos momentos de um projeto, desde negócios que estejam começando até empresas mais maduras que já possuem uma grande operação, mas precisam de recursos para continuar crescendo. É uma modalidade comum no segmento de startups. Apesar de bem difundido, colocar esse conceito em prática e chamar a atenção dos investidores para um novo negócio digital não é uma tarefa fácil. É por isso que o Sebrae desenvolve há três anos o Programa Capital Empreendedor, que visa preparar e educação empreendedores e sócios fundadores de Startup inovadora no âmbito dos investimentos de risco uma das formas de captar recursos para realizar planos e projetos de longo prazo do negócio. O programa já capacitou mais de 500 empresas e totaliza R$ 52,9 milhões investimentos recebidos por 85 empresas participantes das etapas do projeto, além de rede de relacionamento, capital inteligente e facilitação de acesso a mercados. No ciclo 2021, o programa teve 760 empresas inscritas em todo o Brasil. Desse total, foram 270 selecionadas, sendo sete delas do Rio Grande do Norte. Vão participar do Workshop de Empreendedores as startups potiguares FACEPONTO, INOVALL, ENERGY NOW, CHEMTEC, FRETEC, PLUS 3D e FRACTAL. A etapa Rio Grande do Norte está programada para os dias 3, 6, 10, 13, 17 e 20 de agosto, e nela também estão inseridas as empresas selecionadas nos estados de Pernambuco, Ceará e Piauí. Essa é a fase em que esses empreendedores digitais terão contato com investidores e consultores jurídicos de renome nacional, além de conhecer experiências de empresas investidas. Os participantes vão conhecer os principais mecanismos de funcionamento e critério de decisão de um investidor de risco. Todo o programa ocorre remotamente. A outra etapa do Capital Empreendedor são as oficinas de pitch, que, para as empresas do Rio Grande do Norte e estados vizinhos, ocorrem a partir do dia 5 de agosto e vai até o dia 18. Essa fase será sucedida das mentorias, finalizando com um circuito de investimentos, que é a última etapa do programa. O projeto se propõe a ajudar o participante a entender a lógica do investimento de risco, conhecer os principais processos e critérios de decisão dos investidores de risco e estar preparado para se relacionar com eles. Além disso, possibilita identificar o investidor e a proposta de investimento que mais agrega valor ao negócio e melhor se adéqua ao momento da empresa. Facilita também a conexão com investidores cuja tese de investimento esteja alinhada com o propósito da empresa. “Queremos que essas empresas do ecossistema de inovação do Rio Grande do Norte, assim como as dos demais estados, de fato consigam construir um posicionamento de mercado que fortaleça sua existência, apontando valor para os públicos que elas querem atrair como clientes e investidores”, diz a analista técnica do Sebrae-RN, Ruth Maia. O programa Capital Empreendedor tem como parceiros a 2simple, Troposlab, Ventiur Aceleradora, Weblinia, Neo Ventures, Semente Negócios e a neurocientista Chris Jacob. “A cada ano, o programa vem mais robusto, a começar pelos parceiros de peso envolvidos nesta edição. Será uma oportunidade ímpar para essas empresas selecionadas, em especial essas sete empresas do RN. Elas terão mentorias específicas para cada negócio desenvolvido”.

Agência Sebrae de Notícias Setor produtivo repassa R$ 3,1 bilhões em ICMS no 1º semestre

Rio Grande do Norte - Natal – As empresas do Rio Grande do Norte que são contribuintes do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) foram responsáveis pelo recolhimento de R$ 3,13 bilhões no primeiro semestre do ano. Em termos nominais, esse volume é 20,8% maior que o arrecadado nos primeiros seis meses de 2020 com o mesmo imposto. No período, as empresas repassaram R$ 2,59 bilhões para os cofres públicos do estado. Os dados fazem parte de um levantamento mensal feito pelo Sebrae no Rio Grande do Norte e publicado no Boletim de ICMS do RN. Disponível para consulta no site da instituição, o informativo é elaborado mensalmente pela Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae-RN, que processa informações do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), órgão que é composto por representantes de secretarias de fazenda e tributação de todos os estados brasileiros. _Olho_ A análise do comportamento desse indicador é fundamental para entender a situação econômica, já que o ICMS é o principal imposto que compõe as receitas próprias dos estados, ao lado do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD). Nesta edição de julho, o informativo avalia os dados da arrecadação no mês de junho e indica que o volume de recursos obtidos com o recolhimento de ICMS cresceu 40,4% no referido mês se comparado com junho do ano passado. Neste ano, foram recolhidos R$ 535 milhões, enquanto no mesmo mês de 2020, o volume foi de R$ 381 milhões. O aumento nominal da arrecadação, tanto no mês quanto no semestre, entretanto, não leva em conta a inflação do período. De acordo com o boletim, o crescimento da arrecadação de ICMS, entre o primeiro semestre de 2017 e o de 2021, foi de 23,7%, porém, a inflação cresceu 19,3% entre 2017 e 2021, tomando como indexador o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é estabelecido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) e adotado como parâmetro para mensurar a inflação oficial. O volume de recursos obtidos com o recolhimento de ICMS cresceu 40,4% no mês de junho deste ano relação ao mesmo mês do ano passado.

Agência Sebrae de Notícias Parcerias com o ecossistema de inovação garantem avanços ao RN

Rio Grande do Norte - Natal - Das iniciativas nas áreas de bioinformática e recursos de suporte ao desenvolvimento da indústria de energias renováveis às políticas públicas, elaboradas para favorecer o empreendedorismo e os pequenos negócios potiguares. Essa foi uma amostra dos resultados, obtidos através da articulação do Sebrae com instituições locais e governos, que o presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles, pôde conferir durante cumprimento de agenda no Rio Grande do Norte. Na terça-feira (20), a comitiva conheceu os projetos desenvolvidos pelo Instituto Metrópole Digital (IMD) e pelo Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGás -ER) e Instituto Senai de Inovação, que colocam o estado entre os polos importantes do país de estímulo à inovação aplicada ao setor produtivo, e o estabelecimento de políticas públicas, capazes de alavancar a força da livre iniciativa de forma desburocratizada. “Estamos encantados com essa atuação do Sebrae aqui [no Rio Grande do Norte]. Dá para se tratar muito bem as parcerias”, reconheceu Carlos Melles ao ser recebido pela governadora do RN, Fátima Bezerra. Acompanhado do presidente da Associação Brasileira dos Sebrae Estaduais (Abase), Claudio Mendonça, do presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-RN, Marcelo Fernandes de Queiroz, e dos diretores do Sebrae no Rio Grande do Norte José Ferreira de Melo Neto (Ssuperintendente). João Hélio Cavalcanti (técnico) e Marcelo Toscano (de Operações), os dois executivos finalizaram a agenda de visitas com uma reunião na Governadoria. Fátima Bezerra ressaltou a parceria com o Sebrae para a sanção e implantação da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas do RN, cujo estatuto foi assinado na semana passada, e da instalação dos serviços da Junta Comercial do RN (Jucern), além de outros órgãos reguladores de atividades empresariais, na área de atendimento na sede do Sebrae-RN, em Natal. Ao presidente do Sebrae, a governadora lembrou do trabalho no Congresso Nacional junto à Frente Parlamentar em Defesa da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, que ela e Melles integravam quando deputados federais. "Agora, na condição de governadora, tivemos a alegria de encaminhar o projeto para a Assembleia Legislativa. E, na semana passada, assinamos o decreto que regulamenta o Fórum Estadual". O Fórum Estadual Permanente das Microempresas, das Empresas de Pequeno Porte e dos Microempreendedores Individuais do Rio Grande do Norte (FEMPE/RN) é composto por 12 membros, representantes do poder público e de entidades empresariais. “Aos poucos, estamos recuperando a capacidade de investimento do Estado. Paralelo a isso, as empresas estão expandindo os negócios e outras estão chegando para investir aqui”, relatou a governadora, juntamente com secretariado que integra a equipe econômica, citando a instalação de empresas no Distrito Industrial e os investimentos em energia limpa. Somente no setor de produção de energia eólica e solar, os projetos contratados somam mais de R$ 6 bilhões no primeiro semestre de 2021 e outros R$ 6 bilhões estão sendo contratados. Antes da audiência com o governo, Carlos Melles havia visitado o CTGás-ER, que faz parte do Sistema Fiern e Senai, e viu de perto todo o aparato montado para dar suporte à indústria local, principalmente nas áreas de gás e energias eólica e fotovoltaica. Nos laboratórios do centro, são realizadas pesquisas de P&D com equipamentos exclusivos no país, como por exemplo, o túnel de vento, que serve para calibrar anemômetro de torres eólicas. Esse aparelho minimiza o custo de substituição desses do equipamento medidor da velocidade dos ventos, aumentando a vida útil e retardando a importação por parte do parque eólico.A parceria do Sebrae com o CTGás-ER também facilitou a implantação de uma incubadora de startups dentro do centro, que favorece o desenvolvimento de soluções, pensadas por pequenas empresas, para o setor industrial, normalmente operado por corporações de grande porte, incluindo multinacionais. No local, há ainda um habitat de inovação, que serve de elo entre as indústrias e as startups do segmento de energia. Da agenda de Carlos Melles no Rio Grande do Norte também constou de visita às instalações do Instituto Metrópole Digital, com qual o Sebrae está concluindo um projeto piloto, o Transforma RN, ação de capacitação intensiva desenvolvida por meio de uma rede integrada de instituições para aumento da produtividade e presença digital de 50 pequenas do segmento de alimentos e bebidas das regiões de Natal, Mossoró e Caicó, com recursos da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). A meta dos parceiros é fazer com que esse projeto seja expandido para o atendimento de mais 500 empresas. O diretor geral do IMD, Ivonildo Rêgo, apresentou a estrutura e falou da atuação do parque tecnológico, ressaltando o papel do Sebrae, tanto no apoio à concepção, quanto na implementação de projetos, como o programa de incubadoras, e falou das pesquisas realizadas pelo Instituto para aproximar a inovação, concebida na academia, do setor produtivo. Ao lado do reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz Melo, o diretor expôs o potencial do IMD, que já conta com um programa de pós-graduação, cujo doutorado já foi criado com conceito 5 do MEC. Todo esse conhecimento tem favorecido a interdisciplinaridade de áreas e tem gerado resultados, como os obtidos nas áreas de bioinformática e nanotecnologia.

Ver todas as últimas postagens