Conheça as soluções disponíveis e explore os temas que o Sebrae tem para oferecer

Finanças Vendas Leis e Normas
Conheça outros temas
5 dicas para fazer uma gestão de compras eficaz
E-book Planejamento Finanças

A análise e planejamento de compra e gestão de estoque são partes fundamentais no processo de suprimento de insumos para produção nas indústrias ou para as vendas no comércio. Como você tem realizado essa etapa na sua empresa?

Gestão Financeira em tempos de Coronavírus
E-book Finanças

Aprenda como organizar suas operações financeiras para superar o coronavírus.

Controle de Gastos na Indústria, Comércio e Serviços.
E-book Finanças

Entenda a importância do controle de gastos para a saúde financeira da sua empresa.

Gestão Financeira
E-book Finanças

Aprenda a utilizar os instrumentos de Gestão Financeira para garantir a competitividade da sua empresa.

Veja mais soluções do tema Conheça outros temas

Empreendacom sucesso!

Como o Sebrae pode te ajudar?

Icone

Trilhas de autoaprendizagem.

O Sebrae preparou um conjunto de conteúdos para você se especializar ainda mais. Conheça as nossas trilhas e encontre a que mais te ajude no seu dia-a-dia.

Icone

Cursos online e presenciais

Cursos de capacitação para você aprender o que é mais importante para o desenvolvimento do seu negócio.

E-books ricos em conteúdo.

Confira os materiais ricos sobre empreendedorismo para que você possa se especializar cada vez mais.

Pessoas

Existe um Sebrae para cada tipo de empreendedor!

Qual o seu perfil?

Quero empreender Microempreendedor Individual Tenho um pequeno negócio
Pronto para o mercado: Quais os modelos e áreas de negócios são ideais para você?
E-book Empreendedorismo

Quantos negócios que surgem passam pelas etapas de criação e estruturação? Você sabia que pular esses processos pode ser motivo para o fechamento de uma empresa? Acesse o e-book e aprenda boas práticas que te ajudarão nessas fases!

A jornada dos Pequenos Negócios no Mercado
E-book Empreendedorismo

O caminho para o sucesso de uma micro ou pequena empresa possui obstáculos, mas o Sebrae está sempre por perto para ajudá-lo a superar cada um deles. Entenda a importância das MPEs para o empreendedorismo brasileiro baixando nosso e-book!

MEI - Serviços on-line
E-book Leis e Normas

Entenda como se tornar um Microempreendedor Individual e saiba todas as informações pertinentes a essa categoria tão importante para o empreendedorismo! Acesse essas e outras facilidades sobre o MEI baixando já nosso e-book!

Aumente suas vendas com simples escolhas
E-book Vendas Marketing

Quais desafios na área de vendas sua empresa enfrenta? Para superá-los, é preciso ter, além de esforço e dedicação, inspiração para criar soluções criativas. Nosso e-book aborda a estruturação de um bom gerenciamento de vendas.

Veja mais soluções deste perfil

Agência de notícias

Agência Sebrae de Notícias Projeto pretende ampliar processo digital em 500 indústrias

Rio Grande do Norte - Natal – A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) definiu como meta aumentar a transformação digital das empresas nordestinas e esse processo  começará pelo Rio Grande do Norte. O presidente da Agência, Igor Calvet, está em visita à Natal para conhecer os primeiros resultados da fase piloto do projeto Transforma RN, uma ação de capacitação intensiva, desenvolvida por meio de uma rede integrada de instituições, para aumento da produtividade e da presença digital de 50 pequenas indústrias do segmento de alimentos e bebidas das regiões de Natal, Mossoró e Caicó. O projeto foi concebido pelo Instituto Metrópole Digital (IMD), vinculado à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Fiern, Agência de Fomento do Estado (AGN), Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e o Sebrae no Rio Grande do Norte, que é a unidade operacional executora da iniciativa.  “Nessa primeira ação, já notei um diferencial do projeto, que é esse empenho do empresário. Ter 50 empresas e ampliar numa escala para mais 500, dez vezes mais, não é todo estado que consegue esse nível”, reconheceu Igor Calvet, que, após a análise da metodologia aplicada na primeira fase, vislumbrou a possibilidade de tornar essa experiência um modelo a ser aplicado em outros estados do Brasil. “Essa metodologia que está sendo criada aqui, no Rio Grande do Norte, com os erros e os acertos, vai servir para dar escalabilidade, não só aqui, mas também no país inteiro. Se der certo com 50 empresas, certamente vai dar com quinhentas”. As declarações do principal executivo da ABDI foram dadas nesta quinta-feira (10), durante uma reunião para a apresentação do projeto Transforma RN, que conta com um aporte de R$ 1,5 milhão da ABDI, recurso concedido como prêmio pela seleção em edital, se destacando entre os projetos do Nordeste apresentados à agência no ano passado, visando à implantação de iniciativas de transformação digital nas indústrias do nordeste brasileiro. Essa ´rimeira fase termina em agosto. Ações articuladas e integradas A solenidade contou com a participação de representantes do ecossistema de inovação do estado, governo do RN, Fiern, e das demais instituições envolvidas no Transforma RN, assim como dirigentes, conselheiros e gestores do Sebrae estadual e Nacional. O diretor superintendente do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto, expôs o modelo de atuação da instituição para desenvolver ações em parceria com outras organizações de abrangência nacional, como a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) - que elegeu o Sebrae-RN como o único do país a receber aporte financeiro para execução dos projetos Tecnova e Centelha II, Fundação Banco do Brasil, Banco do Brasil e Riachuelo, com o recém lançado programa Mais Integrados, para capacitar, desenvolver e fortalecer o segmento das micro e pequenas empresas do estado oriundas de diversas cadeias produtivas. O diretor superintendente do Sebrae destacou o trabalho que é feito de forma articulada e integrada com as entidades representativas do setor produtivo e órgãos dos governos para ações dos projetos mantidos pelo Sebrae para a assertividade de todas as ações implementadas em prol dos pequenos negócios potiguares. Trata-se de esforço concentrado e alinhado em uma visão sistêmica, que assegura bons resultados dos projetos idealizados e cria um ambiente propício para o desenvolvimento econômico do Rio Grande do Norte. O vice-presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-RN, Itamar Manso Maciel, que representou o presidente do CDE, Marcelo Queiroz, ratificou essa articulação promovida pela instituição e ressaltou a importância do Transforma RN para o setor industrial do estado. “Agora, são 50 empresas, mas, a nossa expectativa é chegar a mais 500 indústrias atendidas com esse projeto, o que poderá trazer um ganho significativo para a transformação digital das indústrias potiguares”, afirma Itamar Maciel. O diretor de Inovação da FIERN e presidente da COINCITEC, Djalma Barbosa Júnior, que participou da solenidade, também destacou o ganho para o segmento com a implementação do Transforma RN e da força da parceria entre as instituições. “Temos no estado uma disposição das instituições com o propósito de converger as ideias e a transformação digital hoje tão necessária, com a qualidade e logística”. Também participaram da solenidade os diretores do Sebrae-RN, João Hélio Cavalcanti (Técnico) e Marcelo Toscano (de Operações), representantes da Secretaria do Desenvolvimento Econômico do Estado, Agência de Fomento do Estado (AGN) Instituto Metrópole Digital (IMD) e do Sebrae Nacional. Nesta sexta-feira (11) o presidente da ABDI, Igor Calvet, prossegue com a agenda de visitas na região metropolitana de Natal, juntamente com os dirigentes do Sebrae-RN e alguns parceiros do “Transforma RN”, visitando pela manhã a Fonte da Cristalina Água Mineral, em Macaíba, o Instituto Metrópole Digital (IMD), no campus da UFRN, e à Raffe Cervejaria, uma das empresas atendidas pelo projeto localizada no bairro de Candelária, em Natal. “Nessa primeira ação, já notei um diferencial do projeto, que é esse empenho do empresário. Ter 50 empresas e ampliar numa escala para mais 500, dez vezes mais, não é todo estado que consegue esse nível” Igor Calvet - Presidente da ABDI

Leia mais!
Agência Sebrae de Notícias Projeto vai ampliar em 30% o índice de transformação digital da indústria

Rio Grande do Norte - Natal – O Projeto Transforma RN pretende atingir a meta de aumentar em pelo menos 15% a produtividade das unidades industriais participantes e uma melhoria de, no mínimo, 30% no índice de transformação de digital das mais de 500 indústrias potiguares do setor de alimentos e bebidas, que deverão ser atendidas. As metas são desafiadoras para um país onde a competitividade ainda é muito baixa, sobretudo entre os pequenos negócios. Atualmente, no estado, apenas quatro em cada dez pequenos negócios utilizam algum tipo de tecnologia digital. No entanto, o esforço das instituições fomentadoras do ecossistema de inovação busca reverter esse quadro, ao menos nesse segmento até a finalização do projeto. As expectativas quanto aos impactos do Transforma RN são otimistas e, por isso, Igor Calvet está conhecendo de perto a estrutura da rede de parceiros envolvidos no projeto - Instituto Metrópole Digital (IMD) Fiern, Agência de Fomento do Estado (AGN), Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e o Sebrae no Rio Grande do Norte – assim como verificar a realidade e nível de maturidade das 50 empresas participantes dessa primeira etapa. Nesta sexta-feira (11), o presidente da ABDI cumpriu uma agenda de compromissos no Rio Grande do Norte, que incluiu visitas ao Instituto Metrópole Digital (IMD), no campus da UFRN, Fonte da Cristalina Água Mineral, em Macaíba, e à Raffe Cervejaria, essas duas últimas são empresas atendidas pelo projeto. o sócio-proprietário da Raffe Cervejaria, Fernando Nóbrega, reconhece a importância do projeto no apoio às pequenas indústrias de alimentos e bebidas. "Este projeto é um grande impulsionador de desenvolvimento para empresas como a nossa, porque nascemos com uma empresa pequena e uma equipe bem enxuta e precisamos desenvolver muita coisa, tanto no processo de gestão, como nos de produção e comercialização", avalia. Há quatro anos, Fernando Nóbrega divide a gestão da Raffe com os sócios, Adriano Miranda e Raul Souza, no mercado de cerveja artesanal incipiente, tanto no RN como em todo o Brasil. "Com esse apoio do Transforma RN vamos ter maior produtividade, melhor eficência nos processos  e ganhar mais competitividade", espera o empresário, ressaltando que em pouco tempo de execução já é possível observar inúmeras oportunidades de melhoria e um conhecimento que vai garantir maturidade a pequena fábrica de cerveja artesanal.  “O  grande problema hoje no nosso país, e não é exclusividade do Rio Grande do Norte, é a baixa produtividade das nossas empresas”, admite o presidente da Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Igor Calvet. Contudo, ao visitar algumas empresas em Natal, o executivo afirma ter conhecido um "ecossistema vibrante", tanto nas pequenas indústrias de bebidas, como nas instituições como o Sebrae, Fiern e Agência de Fomento do Estado, dando o suporte necessário ao desenvolvimento das empresas. "Vejo que o ecossistema de alimentos e bebidas daqui, tem crescido e tem estado atento às mudanças que estão acontecendo no mundo, especialmente na área de transformação digital. E esse projeto vem fortalecer uma rede de apoio aqui no estado", avalia. A ação visa contribuir para incorporação da transformação digital nos modelos de negócio das empresas atendidas através de acesso facilitado a conteúdos, capacitações, interações, funcionalidades disponíveis e soluções para que essas pequenas indústrias possam responder às mudanças e evoluções do ambiente de inovação. As consultorias e mentorias solucionam os problemas identificados em cada um dos microssegmentos englobados, visando resultados em quatro eixos: experiência do cliente, promoção da inovação, aumento da eficiência e vantagens competitivas. Metodologia A proposta é construir uma plataforma digital, chamada Hub de Soluções, que deverá na segunda etapa do projeto promover a interação entre empresas e provedores de soluções de forma automática, interativa e ordenada. A ideia é disponibilizar um programa de transformação digital capaz de prospectar ativamente e identificar as reais necessidades das organizações, planejar como as lacunas devem ser supridas, buscar soluções, garantir a implementação e gerar interações de valor entre todos os participantes no contexto de inovação aberta. O projeto é norteado por seis passos para efetivar uma transformação digital de forma simples e objetiva, como sensibilização, diagnóstico de transformação digital, mentoria para construção de um plano de ação para remodelagem do negócio, sinergia entre empresários e provedores, implementação das ações de transformação digital e diagnóstico final. Neste último, será verificada a evolução da maturidade digital. A previsão é desenvolver um sistema que servirá como base do programa na etapa de escalonamento para o uso de inteligência artificial. Serão desenvolvidas estratégias de marketing digital, eventos presenciais e também terá a participação do usuário final no processo de desenvolvimento da plataforma. O principal indicador deverá ser a experiência positiva da empresa atendida com o projeto, além da aferição dos resultados. A ação visa contribuir para incorporação da transformação digital nos modelos de negócio das empresas atendidas através de acesso facilitado a conteúdos, capacitações, interações e soluções para que essas pequenas indústrias possam responder às mudanças do ambiente de negócios.

Agência Sebrae de Notícias Parceria Mais Integrados amplia mercado para artesanato e confecções

Rio Grande do Norte - Natal – Fomentar a competitividade para ampliar o mercado para 78 oficinas de costura e 60 artesãos, dos quais 30 fazem parte de grupos que produzem os bordados de Caicó, que já detêm o selo de Indicação Geográfica (IG), e sejam inseridos na cadeia de valor do Grupo Guararapes, fazendo com que esses produtos cheguem à rede de lojas da Riachuelo em todo o Brasil. Esse é o objetivo principal do Projeto Mais Integrados, uma ação desenvolvida em parceria entre o Sebrae no Rio Grande do Norte e o Instituto Riachuelo. O projeto foi lançado nesta quarta-feira (9), durante uma live realizada no hotel Holiday Inn, que contou com a participação dos executivos das duas instituições, incluindo o presidente do Grupo Guararapes, empresário Flávio Rocha. _Olho_ Através da iniciativa, será oferecida capacitação às pequenas empresas atendidas durante 18 meses, com foco na ampliação da competitividade e do mercado consumidor dos produtos desses pequenos negócios. A proposta é desenvolver até o final de 2022 as empresas de pequeno porte da cadeia de valor da indústria potiguar Guararapes a partir da adaptação do processo produtivo, em conformidade com as exigências da Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), que reúne os maiores grupos varejistas do país, e, no caso do artesanato, intervenções na área de design de produto e mercado. O lançamento contou com a participação dos diretores do Sebrae-RN José Ferreira de Melo Neto (superintendente) e João Hélio Cavalcanti (técnico), além das gestoras dos projetos de Moda e Confecções, Verônica Melo, e de Economia Criativa, Ana Ubarana. Também estiveram presentes no evento o diretor do Instituto Riachuelo, Gabriel Kanner, e a diretora de Comunicação do Instituto Riachuelo, Marcella Kanner. Já o presidente do Conselho de Administração do Grupo Guararapes, o empresário Flávio Rocha, participou da solenidade por videoconferência e destacou o impacto que esse projeto pioneiro pode trazer para o Rio Grande do Norte, já que atingirá diretamente em torno de 2.200 potiguares de 24 municípios do estado. “Acredito no poder transformacional desse projeto. Com a expansão da Riachuelo no canal digital, que quintuplicou as vendas no período da pandemia, uma loja com 100 funcionários gera cinco vezes mais empregos na produção, dos quais 80% ficam concentrados na costura. Imagine a Riachuelo gerando 10 mil, 20 mil empregos nos próximos anos, quantos postos de trabalho estarão sendo gerados na costura. É um efeito transformacional”, calcula o empresário. Flavio Rocha se refere principalmente ao projeto Pró-Sertão, que consolidou e viabilizou o desenvolvimento das pequenas unidades de costura do estado, principalmente em pólos como o Seridó. “Uma cidade com cinco ou dez mil habitantes que nunca tinha visto uma carteira de trabalho assinada. Com o pontapé de uma oficina do Pró-Sertão, seis meses depois, vê que houve uma verdadeira revolução”, compara Flávio Rocha, referindo-se ao sucesso que pode alcançar com as ações do projeto Mais Integrados, que reúne moda e confecção e produção associada ao artesanato. “Essa parceria foi sonhada por nós, do Sebrae, e também pela Riachuelo há muitos anos. Com esse projeto, vamos fortalecer as empresas que trabalham com oficinas de costuras e abrir portas para o artesanato potiguar, sobretudo para o IG do Bordado de Caicó. A gente vai dar visibilidade ao nosso artesanato e vamos dar oportunidade das pessoas trabalharem e venderem, gerando renda e mudando de vida, notadamente os pequenos artesãos do estado, por meio dessa articulação e devido à grande capilaridade nacional que a Riachuelo possui”, ressalta o diretor superintendente do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto. “Essa parceria foi sonhada por nós, do Sebrae, e também pela Riachuelo há muitos anos. Com esse projeto, vamos fortalecer as empresas que trabalham com oficinas de costuras e abrir portas para o artesanato potiguar" José Ferreira de Melo Neto - Diretor superintendente do Sebrae

Agência Sebrae de Notícias Setor têxtil e artesãos serão capacitados para ter mais competitividade

Rio Grande do Norte - Natal – O Projeto Mais Integrados vai atuar junto às 78 oficinas de costuras e 60 artesãos do Rio Grande do Norte. Serão monitorados o índice de competitividade dos negócios e os indicadores de produtividade e qualidade, com o acompanhamento da evolução das empresas durante o projeto, que foi lançado nesta quarta-feira (9). A iniciativa é uma parceria do Sebrae no Rio Grande do Norte com o Instituto Riachuelo. A meta do projeto Mais Integrados é dar suporte, através dessa ação, a microempresas e empresas de pequeno porte que fazem parte da cadeia de valor da indústria Guararapes, com ênfase naquelas procedentes das regiões do Seridó e Trari do Rio Grande do Norte. O diretor técnico do Sebrae-RN, João Hélio Cavalcanti, detalhou a implementação do programa, durante a solenidade de lançamento do projeto. “É motivo de muita satisfação lançar um programa em uma parceria integrada entre o Grupo Guararapes/Riachuelo, Sebrae e todos os parceiros. É o ápice de um trabalho que estamos desenvolvendo há tanto tempo. E dos reflexos que podem trazer na área da economia local, mas também atingimos o campo social, que tem um peso enorme e isso faz a diferença”, destaca o diretor. Segundo João Hélio Cavalcanti, a linha de atuação do projeto é capacitar para desenvolvimento de produtos confeccionados por grupos de artesão para melhoria do design, concepção de novos produtos, nivelamento técnico, gorvernança e rastreabilidade do selo IG do Bordado de Caicó, consultorias nas áreas de marketing e mídias sociais, exposição em lojas Pop-Up nas seções da Riachuelo Casa e valorização dos mestres do artesanato potiguar. Na área do artesanato, o projeto atenderá a 60 artesãos, dos quais 30 são associados ao Comitê Regional das Associações e Cooperativas Artesanais do Seridó (Cracas), que conquistou, em 2020, o Selo de Indicação Geográfica (IG, do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), para o bordado da região, que possui qualidade e características reconhecidas internacionalmente. “Iremos trabalhar um diagnóstico de competitividade, ou seja, todas as oficinas que já estamos trabalhando há alguns anos receberão um acompanhamento melhor na sua gestão no visão integrada e um olhar muito forte na sustentabilidade”, ressalta o diretor em relação às oficinas de costura que serão atendidas pelo projeto. Essas empresas terão monitorados o índice de competitividade dos negócios e os indicadores de produtividade e qualidade, com o acompanhamento da evolução das empresas durante 18 meses. Sobre o projeto, o diretor do Instituto Riachuelo, Gabriel Kanner, afirma que está dentro dos propósitos do grupo e dentro do que pensou o fundador do grupo Guararapes, Nevaldo Rocha. “A missão do Instituto é transformar vidas por meio da geração de trabalho e renda em uma das regiões mais carentes do Brasil. E decidimos focar o trabalho, pelo menos inicialmente, no Rio Grande do Norte, mais especificamente no interior. Primeiro nas oficinas de costura, dando um apoio maior aos empreendedores do Pró- Sertão, elevando mais o nível e melhorando o atendimento dessas empresas à Guararapes”, afirma Gabriel. A diretora de Comunicação do Instituto Riachuelo, Marcella Kanner, reforçou a importância desse trabalho em prol da região do Rio Grande do Norte, que é o berço da companhia. “Um papel das grandes empresas também é fortalecer sua cadeia de valor. Então, a gente viu isso acontecendo e que era hora de ampliar, olhar para essa região, não só para as oficinas de costura, mas também para os artesãos e bordadeiras. Achamos importante trazer esse tipo de tecnologia social que o Sebrae já emprega tão bem para o grupo”, conclui Marcella Kanner.

Agência Sebrae de Notícias Projeto Transforma RN fomenta competitividade nas pequenas indústrias

Rio Grande do Norte - Natal - O Rio Grande do Norte foi um dos estados selecionados no Nordeste para receber recursos visando a implantação de um projeto piloto na área de transformação digital de empresas. O projeto Transforma RN, que foi concebido pelo Instituto Metrópole Digital IMD), Fiern, Agência de Fomento do Estado (AGN), Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e o Sebrae no Rio Grande do Norte, que é a unidade operacional executora do projeto, recebeu como prêmio da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) pela elaboração da iniciativa um aporte de R$ 1,5 milhão, recurso que já está sendo aplicado na implementação do projeto. Na próxima quinta-feira (10), o presidente da ABDI, Igor Calvet, vem a Natal consolidar a parceria e conhecer de perto o que está sendo desenvolvido por essa rede de instituições através do Transforma RN. O propósito da rede é executar o projeto contemplado pelo edital da ABDI, criando ferramentas e um modelo de atendimento às pequenas empresas, voltado basicamente para a ampliação da produtividade e da transformação digital nessas empresas do segmento de alimentos e bebidas das regiões de Natal, Mossoró e Caicó, que possuem a maior concentração de indústrias. “Focamos na indústria de alimentos e bebidas pela grande relevância, pelo número de unidades e pela articulação com esse segmento”, explica a gerente da Unidade de Desenvolvimento Setorial do Sebrae-RN, Lorena Roosevelt. Nessa etapa de prototipagem, já estão sendo atendidas 50 pequenas indústrias, selecionadas por um processo de inscrição. Foram realizados diagnósticos de transformação digital que abordam oito dimensões e uma pesquisa para mensurar o nível de produtividade da empresa, além de mentorias com o intuito de atuar junto à mentalidade do empresário acerca da transformação digital para assim elencar prioridades. “Geramos uma grande matriz de prioridades das empresas com base nas informações dos empresários acompanhados pelos mentores. Somente após isso, foi criado o plano de ação que está sendo executado agora. Inclusive com a realização de várias consultorias voltadas para microssegmentos, como cervejaria, água mineral e indústria de processamento de coco, por exemplo, com o portifólio de soluções do programa Sebraetec”, acrescenta Lorena. Maior abrangência "O Projeto busca apoiar as empresas de alimentos e bebidas na inexorável jornada para a transição digital , trata-se de sobrevivência e de olhar para o futuro onde as pequenas empresas conquistam novos mercados a partir do relacionamento e da geração de valor para o consumidor cada vez mais informado e exigente", enfatiza a gerente do Sbrae-RN. As consultorias seguem até julho próximo e em seguida essas empresas voltam a ser avaliadas para verificar o nível de evolução. Também está sendo desenvolvido no IMD uma plataforma digital, onde todo esse processo de atendimento que agora é feito analogicamente passe a ser digital. O próprio empresário vai poder entrar na plataforma e selecionar serviços tecnológicos que venham a resolver problemas imediatos na área de transformação digital. “Vamos submeter o projeto para a etapa de escala, a partir de julho. Se conseguirmos êxito, a ABDI deverá aportar mais R$ 1,5 milhão e o Sebrae entrará com uma contrapartida de R$ 2 milhões para atendermos 500 empresas nessa etapa de escala e para aprimorarmos essa plataforma de atendimento”, anuncia Lorena Roosevelt. Indústria atendida Uma das empresas que estão sendo atendidas pela iniciativa nessa primeira etapa é a Água Mineral Cristalina de Natal. O proprietário da empresa, Djalma Júnior, reconhece que o Transforma RN é uma grande oportunidade para o Nordeste do Brasil, sobretudo por ter contemplado o Rio Grande do Norte com a aprovação do projeto na atual conjuntura econômica do país. “Essa parceria com o Sebrae, o IMD, a FIERN e a SEDEC é de grande relevância. A transformação digital é uma realidade, sobretudo com o advento da pandemia. Estamos todos envolvidos na construção de um ecossistema de inovação fortalecido”, afirma o empresário. Na visão de Djalma Junior, é fundamental que as pequenas e médias empresas possam avançar no ambiente tecnológico e digital. “As empresas necessitam se redesenhar, repensarem seus processos e o meio digital é indispensável para que as empresas possam avançar na direção das reais necessidades de seus clientes e na própria evolução do mundo tecnológico”, defende. As expectativas da Água Minral Cristalina de Natal são, segundo o seu diretor, de ganhos significativos, considerando o grau de maturidade da empresa em relação à gestão de inovação. Para Djalma Junior, a transformação digital contribuirá para melhorar e aprimorar alguns processos. “É fundamental que o gestor analise todas as etapas dos procedimentos internos, o que pode ser digitalizado e o que pode ter de aumento de produtividade”, recomenda. Segundo Djalma Junior, o fato do edital ser voltado para a indústria de alimentos e bebidas fortalece as empresas do ecossistema e a integração entre a academia e a indústria, porque “acredito que as pesquisas existentes dentro das universidades precisam ser cada vez mais aplicadas e levadas ao conhecimento dos industriários”.

Ver todas as últimas postagens